O povo pira na pira olímpica!

Olá minha gente amiga!

Preciso desabafar ou vou ficar com isso engasgado em minha garganta pelo resto da vida.

rio-olimpiadas

Olimpíadas do Rio e Tocha olímpica já não é novidade que têm dado o que falar ultimamente. Muitos concordam e veem nisso muita oportunidade (o que realmente é verdade), outros criticam por conta da situação em que nosso país se encontra (o que também é verdade).

E aí eu fico com dois corações nisso tudo. Sempre achei as Olimpíadas algo sensacional. Une os povos de todo o mundo e reúne os mais diversos esportes. Isso é mágico, gente, vocês tem que concordar. A abertura (medo do que vem por aí aqui no Brasil, rsrs), os jogos em si, o encerramento. É tudo lindo!

O problema é a atual situação em que nosso país vive. A corrupção que não acaba mais. Educação falida. Saúde precária. Segurança zero. E aí não há cristão que sorria por completo com todo esse gasto com as olimpíadas.

O dinheiro já foi gasto…beleza. O problema é imaginar quanto dinheiro foi desviado nesse negócio todo. Não é mesmo? Parou pra pensar nisso?

E quanto a tocha viajando os quatro cantos do Brasil.  Viram quanto policiamento e segurança a tocha está tendo? Tudo bem, alguém um tanto “revoltado” ou só pra chamar a atenção poderia fazer algo com a tocha e aí pagaríamos mais um mico mundial. Mas é triste ver que, enquanto existem pessoas sendo sequestradas, assaltadas e assassinadas, a maior preocupação do país é dar segurança a uma tocha.

Outro detalhe que eu não consigo entender é: Porque tem cantor sertanejo ou x-BBB carregando a tocha? Eu tenho certeza que existem muitos atletas que dariam a vida para poder participar desse momento. Porque eles não foram convidados?

Bom, quanto a esse passeio da tocha nem vou entrar nos detalhes com relação ao golfinho, à onça…porque isso me deixa profundamente triste e já foi bastante comentado.

Gente, sinceramente, não sei se sorrio ou se choro ao presenciar uma coisa dessas. Um momento que era pra ser só de alegrias, acaba trazendo tristes consequências para uma nação.

Desculpem se estou sendo injusta, se feri os sentimentos de alguém. Mas como falei antes, esse é apenas um desabafo meu. Apenas meu pensamento quanto ao que estamos vivendo nesse momento.

Um beijo grande e até a próxima!

 

Música é vida!

Oii minha gente amiga.

Quero falar sobre um tema que eu amo demais: MÚSICA

É engraçado como até o nome “Música” soa musical rsrs.

A palavra música tem diversos conceitos, mas venho trazer dois, que englobam a maioria dos outros: “Música é a combinação harmoniosa e expressiva de sons” e “Música é a arte de se exprimir por meio de sons, seguindo regras variáveis conforme a época, a civilização etc”.

Vejam só como essa simples palavra significa algo muito maior do que imaginamos.

Muitas vezes (na maioria das vezes eu diria) ouvimos música no modo automático. Ligamos o som e vamos ouvindo, a mente viaja, pensamos em diversas coisas, mas não na música em si.

Você já parou para ouvir uma música que goste, e realmente prestar atenção em cada nota que sai do seu fone de ouvido? Em cada palavra que o cantor fala?

Você já deixou a música invadir você de uma forma que você só pense nela, como se o mundo fosse feito de sons e você fosse o único do planeta a ter o privilégio de ouvi-la?

Eu já me peguei pensando, por diversas vezes, em como é magnifica essa invenção. O que seria de nós se não existissem as músicas? O mundo seria totalmente sem graça, concorda?

Eu sou do tipo que ouve de tudo um pouco. Claro que tenho minhas preferências, mas vou do clássico de Vivaldi, passo pelo Rock’n’roll e vou até os funks melody da vida. Tudo depende do momento, das companhias, do humor… e por aí vai. A música é o meu complemento.

Se tem uma coisa que me chama a atenção em um filme, por exemplo, é a sua trilha sonora. Em geral, assim que o filme acaba eu corro pra procurar informações sobre a trilha, e vou logo procurando as músicas para curtir.

Música lembra pessoas, lembra história, lembra fatos que aconteceram em sua vida. Música traz momentos nostálgicos, traz lembranças boas e ruins.

Eu posso dizer, com muita convicção que, sem música minha vida não teria sentido algum.

E não poderia terminar esse post especial sem deixar uma música especial pra vocês. Uma das minhas músicas preferidas de todos os tempos. O efeito dessa música sobre mim é fantástico. Ela me relaxa, me inspira, acalma meu coração e minha alma. Por isso, deixo-a com vocês, com a esperança de que tenha o mesmo efeito pra todos.

 

Beijão e até a próxima.

Prêmio Dardos

Olá minha gente amada!prc3aamio-dardos

Hoje é um dia um tanto especial pra mim.

Esse blog nasceu com o propósito de ser meu ombro amigo, meu diário de confissões, meu cantinho do desabafo, e é assim que vem sendo desde então. Mas eu o criei pensando somente em mim, não pensando realmente que alguém iria parar para ler tantos devaneios de uma pessoa comum com caraminholas na cabeça.

Mas vejo que algumas pessoas leem sim. Algumas pessoas muito queridas por sinal. E uma dessas pessoas, a talentosíssima Alana, do blog que eu adoro Páginas em Branco fez a gentileza de me indicar para o Prêmio Dardos.

Essa indicação é muito valiosa pois nos estimula cada vez mais a continuar esse “trabalho” tão lindo e prazeroso que é escrever e ser lido. Coloco trabalho entre aspas pois pra mim não é trabalho algum, pois é algo que vem de dentro de mim, do meu coração, da minha alma. Então, só posso agradecer imensamente por lembrar de mim, desse humilde blog.

O Prêmio Dardos é um selo virtual criado pelo escritor Alberto Zambade, autor do blog Leyendas de “El pequeño Dardos” El Sentido de Las Palabras. Zambade indicou o selo para 15 blogs e estes indicaram outros 15, e assim formou-se uma grande corrente. O objetivo do Prêmio Dardos é reconhecer os esforços dos blogueiros que procuram transmitir princípios culturais, éticos, literários, pessoais etc., manifestando a criatividade através de seus pensamentos.

Regras para participar do Prêmio Dardos:

  • Indicar os 15 blogs que preencham os requisitos acima para receber o prêmio;
  • Exibir a imagem do selo;
  • Mencionar o blog de que recebeu a indicação e pôr o link dele;
  • Avisar aos blogs escolhidos.

São muitos os blogs que sigo e que me trazem inspiração todos os dias, mas infelizmente podemos selecionar apenas 15, e aí estão eles:

Páginas em Branco

Audiência da Tv

Eu Odeio Gloss

Devaneios e Poesias

Charme Haut

Loucuras de Julia

Só Mais Um Aleatório

SOS Srta. Brito

Gabriela Borges

Toda Unanimidade

Sport Club Internacional

Universo Inconsequente

Vivi Metaliun

Quem Joga?!

Uli Azeredo

Convido a todos a visitarem e seguirem esses blogs. Tenho certeza que viverão momentos agradáveis e divertidos em companhia de excelentes pessoas.

Beijão e até a próxima!

 

Em busca do livro perdido

Olá minha gente!

Ontem me aconteceu um fato no mínimo curioso, e para resumir vou direto ao ponto. Encontrei um pedaço de papel no chão. Minha primeira reação é xingar mentalmente a pessoa que jogou o papel no chão (acho isso o fim!). Juntei e estava a procura do lixeiro mais próximo. Nesse meio tempo eu dou uma olhada rápida no papel e vejo que é uma folha de um livro, como se tivesse se destacado por acidente. E então eu revejo meus pré conceitos e imagino que alguém a tenha perdido, e não jogado fora simplesmente.

Então eu paro, e começo a ler e eis que me pego fisgada na história. O problema é…que livro é esse? Quem é o autor? Onde posso encontrar? Na página não havia nenhuma indicação, apenas o número. Por isso venho pedir a ajuda de vocês. Se conhecerem, por favor, deixem qualquer informação que possa me ajudar. rsrs.

Para não ficarem curiosos, aí vai uma parte do que tem na página perdida do livro.

download

“Bati a porta do meu quarto com força. Eu não queria mais ouvi-la falar. Deitei na cama e coloquei o travesseiro por cima da minha cabeça, tentando me esconder do mundo e do barulho que vinha da cozinha. Ela continuava falando alto. Sabia que eu podia ouvir.

Minha mãe tentava me convencer de que suas crenças eram a verdade do mundo, e todo o resto era coisa do demônio, era pecado, blasfêmia.

A porta do meu quarto se abriu violentamente.

– Eu vou te levar a um médico. – Grita ela. Meu pai vem logo atrás, tentando apaziguar a situação. Ele sempre tentava manter a paz dentro de casa. Era a minha salvação.

– Eu não preciso de médico. Preciso ficar sozinha. – Gritei embaixo do travesseiro. O som saiu abafado.

– Deixe-a em paz Brigite. – Meu pai tentava tirá-la dali. Ele sabia onde ia terminar nossa discussão. Era sempre a mesma coisa. Acabávamos ofendendo uma a outra, depois nos arrependíamos, e depois discutíamos tudo novamente. Era difícil pra ela entender meu modo de ver as coisas. Ela não aceitava o fato de eu acreditar em muitas coisas ao mesmo tempo.

– Essa menina precisa de ajuda. Você não vê? As coisas que ela fala não tem nenhum sentido. Ela está possuída. – Ela argumentava com meu pai, que apenas suspirava, por saber que não adiantaria discutir com ela.

– Mãe, sai daqui, por favor! – Joguei o travesseiro no chão e a encarei, enraivecida.

– Isso não é normal Lucy. Essas coisas que diz não faz sentido. – Continuou.

– As coisas que acredito não são da sua conta. Você não pode mudar o que eu penso ou acredito. – Falei inutilmente.

– Brigite, chega! – Meu pai já estava perdendo a paciência, algo realmente difícil de acontecer. Só minha mãe conseguia fazer isso.

– Me deixa mãe, por favor. Eu não sou uma marionete pra você comandar do jeito que quer. – Eu estava prestes a chorar. Mas estava segurando o nó na garganta. Não queria dar esse gostinho a ela.

– Você é maluca. Completamente maluca. Entendeu? –

Levantei da cama, saio porta afora, correndo. Abri a porta da frente de casa e corri pela rua, sem rumo, aos prantos. Como minha própria mãe podia falar comigo dessa maneira?

Enxugava as lágrimas com a gola da minha camiseta enquanto corria pelo meio da rua vazia. Os arbustos que ladeavam as calçadas passavam por mim como borrões, embaçados vistos através de meus olhos mareados.

Eu não conseguia entender porque minhas crenças deixavam minha mãe tão irritada. Ela não se conformava com o fato de eu acreditar em espíritos e em vida alienígena. Isso era tão claro pra mim quanto a própria vida humana, apesar de nunca ter tido qualquer experiência sobrenatural, o que me deixava um pouco frustrada. Além disso, eu acreditava em um ser superior, onipresente, que comandava todo o universo. Eu acreditava em Deus e me recusava a limitá-lo às regras de uma igreja. Isso era um absurdo para Brigite. Se tivéssemos nascido alguns séculos atrás, provavelmente minha própria mãe me levaria até praça pública para que eu fosse queimada viva, como uma bruxa.

Minha rua não era tão grande. No final dela havia um grande campo aberto, gramado e com algumas arvores enfeitando o parque. Eu gostava de estar ali, principalmente depois de mais uma briga com Brigite. Passei pelas grandes e largas arvores que cercavam o campo, tirei os tênis e continuei a correr descalça pela grama. Subi a colina no meio do campo, e parei. Ali já era longe o suficiente do barulho da rua ou das casas próximas. Desci a colina, onde gostava de ficar, totalmente isolada de todos. Não se via nenhuma casa por ali.

Mais ao longe ficava a plantação de trigo do Sr. Walmer. Era uma vista linda. Do lado esquerdo algumas árvores sobre a grama extensa. Do lado direito, as hastes amarelas da plantação dançavam com o vento, numa coreografia lenta. Inspirei o ar, tentado conter os soluços que sempre demorava a passar. Senti a brisa lamber meu rosto e bagunçar meu cabelo. O ar fresco era sempre revigorante.”

É isso gente…apenas isso! Será que terei que conviver com a dor dessa menina, sem saber o que vai acontecer com ela? Estou me sentindo a Hazel de A Culpa é das Estrelas em busca de respostas para o livro Uma Aflição Imperial. kkkkk

Beijosss!!!

 

Não deu pra Argentina

Mulher também gosta de futebol sim senhor, e comenta!

Muitos podem até não concordar com a minha opinião, mas como eu disse, é a MINHA opinião. Então, aceita que dói menos. rsrs

Bom gente, queria falar da nossa vizinha e eterna rival Argentina! Estou falando da seleção de futebol gente, rivais só nos campos, please.

Ontem aconteceu em Nova Jersey, USA, a final da Copa América, onde jogaram Chi Chi Chi Le Le Le x Argetina.

Nosso “amado” Brasil (hoje em dia nem tão amado assim) saiu da competição a tempos. Portanto, sem palavras para a nossa seleção.

Assim, restava-me torcer para os hermanos, vizinhos próximos. Até porque eles tem Messi, e eu adoro o Messi! Nada contra o Chile, gosto deles também. Mas o Leo, é o Leo.

E o que aconteceu? O meu querido idolatrado salve salve Leo perdeu um pênalti.  Como assim? É isso mesmo gente. O jogo ficou no 0 x 0 até que foi para os pênaltis e o primeiro a bater da Argentina foi ele, o craque, o ídolo. E lá foi a bola para fora.

Sem acreditar vi mais um título da Argentina indo por água abaixo. Até que outro jogador argentino também perdeu o pênalti e aí já era! Deu Chi Chi Chi, Le Le Le, de novo. Messi, desolado, parecia também não acreditar no que estava acontecendo.  ng7149787

Após mais essa derrota com a camisa da Seleção, Leo Messi anunciou sua saída do time argentino. Talvez de cabeça quente ele tenha dito sem pensar nisso realmente, mas, a torcida é para que isso não aconteça. Acho que ele ainda tem muito a dar para a sua seleção e merece sim um título.

É Leozinho, não foi dessa vez, mas calma, sua hora vai chegar!

Por hoje era isso minha gente. Até a próxima!

 

#chateada kkk

 

I’m back!

im-back

É isso aí pessoal!

E com a imagem do titio (ou vovô)Schwarzenegger, venho dizer que estou de volta a ativa no blog, depois de tanta correria da vida adulta! É gente, não é fácil ser gente grande. Sinto-me enganada pela vida, porque quando era criança pensava que ser adulto era o máximo, porque esses tinham mais liberdade. Realmente, temos mais liberdade, desde que tenhamos as contas em dia. rsrs.

Quero aproveitar para me desculpar pela ausência, espero que entendam. Mas, agora estamos aí, para mais choramingos, risadas, besteiras, tudo e todas as coisas possíveis e impossíveis, rsrs.

E vamo que vamo!

Beijooooo

 

 

Bad day

sofrimento-chorando-rosto-triste-emoticon_318-58438

 

Hoje o dia não foi nada bom, pra mim.
Meu cachorrinho, de 15 anos, meu xodó amado, está mal, capenga, tadinho. Cada dia ficando mais debilitado. Como lidar com isso? É muito difícil. Eu sei que uma hora, a hora dele vai chegar. Assim como a de todos nós. Mas a gente nunca está preparado pra isso. É muito triste ver um bichinho que era tão faceiro, tão bravinho, assim, todo caidinho. To péssima com isso. =(

E ainda, pra “melhorar” o meu dia, meu trabalho não está lá aquelas coisas. Eu estava toda feliz por estar cheia de funções, responsabilidades, mas a verdade é que não estou dando conta de tudo, e não estou conseguindo me organizar para fazer todas as coisas que preciso. Assim, acabo não fazendo nada direito. E isso me deixa ainda pior, com uma sensação péssima de derrota.

O que fazer para essa dor em meu peito passar? Essa sensação de desanimo… esperar passar? Sei que uma hora passa, mas eu queria que fosse agora. Pode ser?

Desculpem o chororô, o mimimi, mas esse blog é sobre tudo e todas as coisas, então…
Beijo e obrigada pela companhia.